Internet em Portugal e no mundo

Uma viagem pelo mundo dos acessos à internet

O speedtest.net é uma referência incontornável no que se refere a testes de largura de banda. Sempre que o utilizamos, somos convidados a participar numa breve sondagem relativa ao serviço de internet que acabámos de testar. Se o fizermos, estamos a participar no menos conhecido Net Index, uma análise estatística independente que recolhe e analisa informação relativa a mais de 200 países.

O Net Index apenas é disponibilizado na língua inglesa, mas a informação é apresentada de forma muito intuitiva e acessível, o que compensa bem esta lacuna. Pode mesmo dizer-se que encontraram uma forma de tornar estas maçadoras estatísticas em algo interessante. Os dados apresentados são médias calculadas sobre os testes efectuados nos últimos 30 dias.

Também nos permite recuar no tempo e ter uma perspectiva sobre como evoluíram os acessos à internet em Portugal e no mundo. Podemos por exemplo observar que em Setembro de 2008, Portugal se encontrava na 20ª posição a nível mundial com uma largura de banda média de 6,83Mbps, quando a média mundial era de 4,7Mbps. Nessa época, em Portugal era a TvCabo que liderava em largura de banda, com uma média de 8,91Mbps.

Os dados mais recentes são mais abrangentes e incluem outros elementos, como preço, qualidade ou promessa – este último é um rácio entre a velocidade contratada e a fornecida. A estatística fala por si e Portugal até que não está nada mal servido. É interessante observar os contrastes, onde nos apercebemos que temos bons resultados de download e péssimos de upload, estes bem abaixo da média mundial. A nível de preço, ainda há que melhorar um bocado já que estamos a pagar bem acima da média europeia. Depois encontramos um dado alarmante: só nos fornecem 67% da velocidade contratada!

Desvio percentual de Portugal e da UE em relação à média mundial

Neste gráfico observamos o desvio em relação à média global. Podemos observar, por exemplo, que o custo de largura de banda em portugal é inferior à média global mas superior à média da UE

Mas não há verdadeiro motivo para alarme. Os maus resultados são fortemente influenciados pelo mau desempenho da MEO, que em média fornece apenas 50% da velocidade anunciada, pois grande parte dos seus clientes estão ligados por ADSL, que só em condições óptimas consegue garantir os valores máximos contratados, nunca inferiores a 12 Mbps. No outro extremo temos a NOS como o operador mais cumpridor, com 101% da velocidade anunciada, já que as suas redes HFC e FTTH são geralmente capazes de assegurar a qualidade prometida, abrangendo a totalidade dos seus clientes de internet.

Observando com atenção, percebemos que Portugal está de facto muito bem equipado. O que a estatística por si só não revela é motivo de orgulho e ao mesmo tempo o que nos faz cair muitas posições no ranking global: a banda larga fixa está disponível para 99% da população, o que prejudica a estatística mas promove melhores condições de acesso à internet para a generalidade da população, e não apenas para os habitantes das cidades como se verifica noutros países.

Classificação de Portugal no ranking mundial

Aqui podemos observar a posição ocupada por Portugal nas principais categorias analisadas. Como exemplo, em Download, Portugal encontra-se em 31º entre 202 países incluidos no estudo

Em resumo, o Net Index é uma ferramenta interessante e fácil de utilizar. Permite-nos por exemplo consultar a largura de banda média por cidade, ou mesmo ver um ranking nacional onde constam mais de 200 localidades. Isto é válido também para mais de 200 países. A estatística não diz tudo, mas permite perceber muita coisa, pelo que vale a pena uma visita e uns minutos de exploração.

Utiliza o speedtest.net? Já participou nestas sondagens? Pode aqui deixar o seu comentário e contribuir com a sua experiência pessoal.

Os analistas de pacotes-tvnetvoz

06-06-2015 670 vizualizações
Powered by in4Chance